sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Organizações Harmônicas

Vamos analisar as diferenças entre uma organização harmônica e uma convencional, tomando como exemplo duas empresas:

Empresa Convencional.

A empresa tem na recepção um quadro divulgando sua missão e valores.

As pessoas da empresa, conforme a posição que ocupam dizem: “a minha empresa”, “a nossa empresa” ou “a empresa do(s) home(s)”.

Há um sistema de controle de freqüência e horário.

Seguidamente são colocados avisos com instruções visando comportamentos e/ou procedimentos administrativos.

A empresa tem advogado trabalhista.

Os que ocupam cargos de chefia ficam dedicados a manter o ritmo de produção, distribuir tarefas, verificar a qualidade, evitar desperdícios e outras atividades de controle inerentes à chefia.
Quando a empresa quer destacar um funcionário promove-o para um cargo mais importante para poder pagar mais, sem riscos de enfrentar problemas de equiparação salarial.

A empresa costuma manter um bom sistema de comunicações, emitindo advertências ou dando suspensões, como avisos de que algo está mal.

Há revista de saída para aqueles que portam volumes.

Alguns funcionários participam dos resultados, com distribuição proporcional ao nível salarial.

Há um quadro de cargos e salários e se estimula o progresso funcional, geralmente por indicação da chefia.

A empresa convive bem com a renovação de quadros o, que é visto como algo natural e que evita acomodações.

Os custos são compatíveis com o setor, e a empresa não faz “milagres”.

Demonstrações de posse ou riqueza que possam gerar constrangimentos são evitadas.

São feitas muitas reuniões de chefias e se evita “iniciativas” que não tenham sido aprovadas por quem de direito.

Nas festas de fim de ano, se destaca o espírito de harmonia existente na empresa.

Os dados econômicos, tais com faturamento, pedidos, estoque, etc. são de conhecimento exclusivo de quem tem de lidar com eles.

Cada um deve se ater à sua tarefa, pois se cada um fizer o que lhe compete o resultado será satisfatório.

Empresa Harmônica.

Os objetivos da empresa e sua maneira de ser são do conhecimento de todos.

Ao se referirem à empresa todos dizem: “a nossa empresa”.

Não há nenhum sistema de controle de horário.

No quadro de avisos não há nenhum aviso dizendo: “A partir dessa data....”.

Nos últimos cinco anos não houve nenhuma questão trabalhista.

Todos trabalham na empresa, ou seja, não há ninguém em função exclusivamente de chefia.

As pessoas recebem o valor de mercado, nem mais, nem menos.

Não há comunicações de advertências, nem suspensões.

Não há revista de saída.

Todos participam dos lucros proporcionalmente à contribuição que deram e não proporcionalmente às suas remunerações.

Não há disputas por cargos, pois não há quadro de cargos e salários.

Nos últimos cinco anos ninguém pediu demissão por razões de desajuste no trabalho.

A empresa trabalha com custos inferiores aos da concorrência.

O empresário quando troca de carro não se sente constrangido em aparecer com o carro novo.

Quem tem de tomar decisão toma, sem “democratismos”, nem fugas de responsabilidade.

O empresário não faz discursos dizendo “somos uma família...”.

Todos os dados referentes à faturamento, custos, e despesas, estão disponíveis para todos.

As pessoas que trabalham sabem o que é produzido, quem são os clientes, e sentem-se seguras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe!